quinta-feira, 11 de junho de 2009

DESMATAMENTO E POBREZA

ESTUDO QUE SERÁ PUBLICADO AMANHÃ NA REVISTA SCIENCE DIZ QUE DESMATAMENTO TEM CICLO DE RIQUEZA CURTO

Os ganhos obtidos pelo desmatamento na Amazônia desaparecem mais rápido do que se imagina. Sem os recursos da floresta sobra apenas a pobreza que precedeu a exploração. A conclusão é de um estudo a ser publicado amanhã (12) na revista americana Science. O trabalho é de um grupo de pesquisadores do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia) que analisou os indicadores de qualidade de vida de 286 municípios brasileiros na Amazônia.

Constatou que, no curto prazo, o desmatamento realmente melhora o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Porém, os benefícios duram apenas entre 12 e 16 anos -quando acaba a exploração de madeira e a produtividade da pecuária.

Os cientistas dividiram os municípios em sete grupos segundo a extensão do desmatamento e calcularam a média do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) municipal em cada grupo. O IDH leva em conta variáveis como renda per capita, expectativa de vida e alfabetização.

As localidades com floresta intacta ou devastada possuíam, em média, IDH próximo a 0,6 (o índice varia de zero a um). Nos municípios com metade da cobertura vegetal e grande atividade predatória em curso, o índice subia para 0,7.

Depois desse "boom", o município passa a apresentar índices de qualidade de vida parecidos com os do período anterior ao desflorestamento.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget