quinta-feira, 25 de junho de 2009

MAR VERMELHO NA AMAZÔNIA

Laboratório da UFPA divulga resultados preliminares sobre vazamento da Alunorte, em Barcarena, no Pará

O Laboratório de Química Analítica e Ambiental da UFPA (LAQUANAM) divulgou, neste mês de junho, os primeiros resultados do estudo preliminar dos níveis de contaminação ambiental no Rio Murucupi, que, no dia 27 de maio, foi atingido pelo vazamento de lama vermelha da planta industrial da Alunorte, localizada em Barcarena.

A equipe de pesquisadores da Faculdade de Química da UFPA esteve no local no dia 29 de maio coletando amostras de água, do solo, de sedimentos, de peixes e de plantas. Os resultados das análises da qualidade da água já estão prontos e foram entregues à Delegacia do Meio Ambiente (DEMA) para fazerem parte do inquérito que investiga as causas e as responsabilidades sobre o vazamento.

A professora Simone Pereira, coordenadora do LAQUANAM e responsável técnica pelo estudo, explica que os índices de cloreto, a turbidez da água, os níveis de oxigênio dissolvidos no ambiente aquático e a concentração de metais, como ferro, alumínio, cádmio e cobre, não estão em conformidade com os parâmetros estabelecidos pela legislação ambiental, a resolução 357/05 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA).

“Os peixes são utilizados como bioindicadores dos ecossistemas aquáticos e sua mortandade sinaliza um grande desequilíbrio ambiental que pode prejudicar, seriamente, a saúde e as atividades econômicas do homem”, afirma a química. No caso do Rio Murucupi, entre as prováveis causas da morte dos peixes, a pesquisa indica: o aumento da tubidez da água, causada pela presença da lama vermelha; a presença de alumínio solubilizado pelo aumento do pH, o que mata os animais sufocados ou o excesso de cobre na água, que, em doses elevadas, é extremamente nocivo.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget