terça-feira, 16 de junho de 2009

RESTITUIÇÃO A QUEM DE DIREITO

Foto: Edvaldo Pereira/Amazônia em Foco

Tembés querem bolsa floresta com leilão de madeira ilegal

Líderes tembé da Terra Indígena (TI) do Alto Rio Guamá, no nordeste do Pará, entregaram nesta terça-feira (16/06) ao titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Aníbal Picanço, um projeto propondo que o dinheiro obtido em leilão de madeira retirada ilegalmente do seu território seja aplicado em projetos de desenvolvimento sustentável da comunidade. Caso aprovada pela Sema, será a primeira vez em que índios da Amazônia receberão a chamada bolsa floresta, um reembolso mensal equivalente a um salário mínimo pelos serviços ambientais prestados.
A proposta dos tembé é utilizar os recursos que vierem a ser obtidos no leilão de 4 mil metros cúbicos de madeira (estimados em R$ 1 milhão) apreendidos em novembro de 2008 em Paragominas (PA) na operação Rastro Negro, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Federal, Polícia Militar e Força Nacional de Segurança. Na ocasião, manifestantes favoráveis aos desmatadores ilegais depredaram o escritório do Ibama em Paragominas e atearam fogo em veículos do órgão.

A foto acima foi realizada durante minha visita à aldeia Tembé, no Alto Rio Guamá em novembro de 2008.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget