segunda-feira, 6 de julho de 2009

DESTAQUE AMAZÔNIA


PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA DO MUSEU GOELDI JÁ ESTÁ DISPONÍVEL


O Destaque Amazônia do mês de julho traz como matéria principal os resultados da dissertação defendida pelo arquiteto Antonio Carlos Lobo Soares, do Museu Goeldi. Intitulada,
“Impactos da Urbanização sobre Parques Públicos: Estudo de Caso do Parque Zoobotânico do Museu Goeldi (Belém-PA)” - com foto deste blogueiro, o estudo traz análises do sombreamento dos edifícios altos, o ruído e a poluição produzida pelos veículos e o comportamento dos visitantes e funcionários e seus impactos negativos para a conservação do Parque Zoobotânico de Belém. O trabalho também identificou as principais fontes sonoras no interior do Parque que serviram para a elaboração de um mapa acústico.

Arqueologia amazônica, biodiversidade, lingüística e história são alguns dos muitos assuntos tratados no jornal do Museu Goeldi que, em 2009, completa 25 anos de existência no campo de divulgação da pesquisa científica na Amazônia.

As novas tendências na Arqueologia da Amazônia também estão no Destaque. A atividade do Museu coordenado pela pesquisadora Vera Guapindaia, intitulada “Projeto de Análise Tecnológica da Coleção Lítica da Região do Porto Trombetas, Pará” traz evidências arqueológicas que indicam que, além do estudo material cerâmico, a indústria lítica da Amazônia deve ser levada em consideração para entender melhor a contextualização das culturas pré-históricas da região.


Multitemático - A tecnologia usada a favor das línguas e culturas indígenas. Na modernidade, a preservação de um patrimônio imaterial de valor cultural sem precedentes é possível graças aos esforços de lingüistas que, não só registram, mas recuperam e guardam um acervo desconhecido do grande público. O Destaque mostra como o Museu Goeldi se utiliza de avanços tecnológicos para salvaguardar o patrimônio imaterial indígena registrado em sua coleção. São mais de 1,2 mil mídias que guardam o registro de cerca de 70 línguas indígenas, onde as primeiras gravações datam de 1977. Através da implementação do Centro de Documentação Permanente de Lingüística e Culturas Indígenas da Amazônia, a instituição criará um banco de dados para transferir arquivos de mídias defasadas, como fitas cassetes e, CDs e DVDs para um computador mais seguro.

O informativo bimestral do Museu Goeldi traz também texto sobre o comportamento mimético de serpentes não-venenosas, Atractus latifrons, que se assemelham às diferentes espécies de coral verdadeiras na Amazônia. O manejo sustentável de recursos naturais pode ser importante instrumento estabelecido para conservação da biodiversidade amazônica. Esse o tema de matéria sobre o caso bem sucedido da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã (AM), localizada no Amazonas e que tem gestão do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)


Publicações - O Destaque apresenta ainda as novas edições dos Boletins de Ciências Humanas e de Ciências Naturais, periódico editado pelo Goeldi desde 1894. Lançada em maio, a edição do Boletim de Ciências Humanas reúne vários trabalhos em torno do tema “Arqueologia amazônica: história e identidades”, além de enfatizar as contribuições científicas de Emílio Goeldi para a Arqueologia da Amazônia. Artigos científicos das áreas de taxonomia, anatomia, biodiversidade, ecologia, vegetação, conservação da natureza e geologia estão presentes no Boletim de Ciências Naturais, que traz estudos sobre a diversidade de diferentes ecossistemas da Amazônia. As versões eletrônicas dos dois boletins estão disponíveis no endereço http://www.museu-goeldi.br/editora/index.html.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget