terça-feira, 21 de julho de 2009

MORRE ONÇA PRETA DO GOELDI


Museu Goeldi perde “Bemp”, filho de “Ana Preta”, nascido no Parque em 1987

O Museu Goeldi acaba de perder um dos mais queridos exemplares de seu plantel. A onça pintada (Panthera onca) preta macho, “Bemp”, nascida em junho de 1987, no Museu Goeldi, morreu na tarde desta terça-feira, dia 21 de julho, no Parque Zoobotânico do Museu Emílio Goeldi. A provável causa do óbito, ocorrido por volta das 14h, são complicações resultantes da avançada idade do animal, que já ultrapassava a expectativa de vida em dois anos. A equipe de veterinária do Parque realizou a autópsia e verificou a ocorrência de tumor no abdômen do animal de 22 anos. O material coletado seguiu para exame histopatológico, cujo resultado deverá ser divulgado em 30 dias.

Desde 2008, “Bemp” era submetido a um tratamento e dieta especial devido ao seu grau de debilidade decorrente de sua idade avançada. “Ela já não absorvia todos os nutrientes necessários, estava desidratada e com grande perda de massa muscular, o que agravou o seu estado de saúde”, diz o veterinário do Parque, Messias Costa. “Nós ainda não descartamos ainda a presença de tumores ou doenças oportunistas que podem ter contribuído para o óbito, mas isso só poderá ser confirmado com os resultados da necropsia”, completa.

A onça, que, na verdade, é pintada, mas de cor predominante preta, deverá ser taxidermizada para integrar a Coleção Didática do Museu Goeldi. O recinto habitado por “Bemp” será submetido às melhorias previstas pelo Programa de Revitalização do Parque Zoobotânico, para abrigar outro exemplar da espécie.

Animais e senilidade

A idade é um fato determinante na perda de animais em Parques como o Zoobotânico do Museu Goeldi, em Belém. No ano passado, perdeu-se a peixe-mulher (fêmea do peixe boi), “Mayra”. O jacaré-açu, “Alcino”, do alto dos seus 55 anos, foi operado e continua a ser atração com sua mais de meia tonelada; bem como um cauauã, pássaro de 35 anos, são alguns desses exemplares da terceira idade que a Veterinária do Museu acompanha de perto.

“Bemp” é da linhagem de “Ana Preta”, atração do Parque Zoobotânico do Goeldi nos anos 80. Recebeu nome Kayapó, que se presta à nominação de crianças em Festa do mesmo nome. O ritual atribui a crianças nome composto iniciado por Bemp.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget