segunda-feira, 3 de agosto de 2009

CARTOGRAFIA DA AMAZÔNIA

Sipam libera R$ 9 mi para cartografia da Amazônia

O Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), vinculado à Casa Civil da Presidência da República, repassou hoje (03) R$ 9,1 milhões para à Aeronáutica, Exército, Marinha e ao Serviço Geológico do Brasil (CPRM), para a execução do Projeto Cartografia da Amazônia. Desses recursos, R$ 3 milhões serão destinados a investimentos, como a construção dos navios especiais para a Marinha realizar a cartografia náutica.

Neste ano, o Sipam já repassou R$ 31,6 milhões para a execução dos trabalhos. Em 2008, foram destinados R$ 68,5 milhões ao Projeto, que prevê R$ 350 milhões para acabar com o vazio cartográfico de 1.796.256 de quilômetros quadrados na Amazônia Legal. As áreas mais desprovidas de cartografia estão espalhadas pelos Estados do Amazônia, Pará, Amapá, Mato Grosso e parte do Acre, Maranhão e Roraima.

Segundo o diretor de Produtos do Sipam, Wougran Galvão, até agora já foram imageados, pelo Exército, 443.685,2 quilômetros quadrados, no Noroeste do Amazonas. Desse total, já estão em fase de processamento as imagens de 70 mil quilômetros quadrados. Isso permitirá elaborar a primeira carta-imagem do Projeto, com informações sobre a altimetria da região (padrão do relevo, depressões, morros), identificação de rios e dados preliminares do terreno. Dentro de alguns dias deverão ficar prontas as primeiras cartas dos levantamentos aerogeofísicos elaborados pela CPRM. Os resultados do trabalho devem identificar áreas com potencial para futuro aproveitamento de reservas minerais.

Lançado em 2008, o Projeto deve concluir em cinco anos as cartografias terrestre, geológica e náutica da Região Amazônica. Neste período, o Governo Federal investirá R$ 350 milhões, sendo que R$ 85,4 milhões serão destinados a investimentos como a modernização dos sistemas de aquisição e processamento de dados de aeronaves especializadas em sensoriamento remoto, software e hardware para o tratamento e processamento dos dados e imagens, capacitação de recursos humanos e a construção de cinco navios hidrográficos para realizar a cartografia náutica. A conclusão está programada para 2012. O trabalho é coordenado pelo Sipam e os executores são o Exército, a Marinha, a Aeronáutica e o Ministério de Minas e Energia.

As cartografias vão auxiliar no planejamento e execução dos projetos de infra-estrutura como rodovias, ferrovias, gasodutos e hidrelétricas, além da demarcação de áreas de assentamentos, áreas de mineração, agronegócio, elaboração de zoneamento ecológico, econômico e ordenamento territorial, segurança territorial, escoamento da produção e desenvolvimento regional. As informações ainda ajudarão no conhecimento da Amazônia brasileira e na geração de informações estratégicas para monitoramento de segurança e defesa nacional, em especial nas fronteiras. (com infomações da Ascom/Sipam)

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget