domingo, 9 de agosto de 2009

Projetos de desenvolvimento sustentável já buscam recursos do Fundo Amazônia

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, revelou nesta sexta-feira (7) que 60 projetos de desenvolvimento sustentável já estão pleiteando financiamento por meio do Fundo Amazônia, dos quais três estão em via para aprovação pelo BNDES. Ele acredita que os novos projetos apoiados pelo fundo ampliarão de 10% para 40% o número de ações contra o desmatamento na região. O fundo é gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e já possui R$ 200 milhões em caixa.

Minc também falou sobre o problema do desmatamento na Amazônia. Para o ministro, só a conjugação de quatro fatores levará à redução do desmatamento na região: o zoneamento econômico-ecológico; a regularização fundiária aprovada por lei; a Operação Arco Verde, que objetiva estimular a legalidade nas atividades agropecuárias e florestais; e o Fundo Amazônia, criado no ano passado para captar os recursos para as ações de combate ao desmatamento e de preservação da floresta.

"São medidas que já estão acontecendo. A redução do desmatamento na Amazônia vai se dar pela combinação desses quatro fatores", afirmou.

Carlos Minc disse ainda que um dos desafios é auxiliar os municípios de pequeno porte para que tenham articulação suficiente e capacidade de mobilização, como ocorre nos grandes municípios, para poderem apresentar projetos e tomar medidas para diminuir o desmatamento na Amazônia. A superação desse desafio, em paralelo com o conjunto de medidas em curso, abrirá caminho para uma legalidade ambiental na Amazônia, disse.

O ministro confirmou que pretende deixar o governo no início de 2010 para concorrer à reeleição de deputado estadual pelo Rio de Janeiro. Minc participou da reunião do Comitê Orientador do Fundo Amazônia (Cofa), na sede do BNDES, no Rio de Janeiro. As reuniões do Cofa objetivam definir os critérios e o modo de atuação do Fundo Amazônia.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget