terça-feira, 27 de outubro de 2009

TRANSMISSÃO DE ENERGIA NA AMAZÔNIA

Acre e Rondônia passam a fazer parte do Sistema Interligado Nacional

Os estados do Acre e de Rondônia já fazem parte do Sistema Interligado Nacional. A integração ocorreu com a entrada em operação de dois circuitos da linha de transmissão entre Jauru e Vilhena, com potência de 230 kilovolt (kV) e extensão de 345 km nesta segunda-feira (26).

Esta é a primeira integração de um sistema isolado ao Sistema Interligado Nacional. Isso permite que os dois estados passem a receber e distribuir a energia elétrica que circula no restante do país. A ampliação da abrangência do sistema é decorrência do trabalho do ministério de Minas e Energia, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e do Operador Nacional do Sistema (ONS), além de outros agentes envolvidos, como a Eletrobrás, a Eletronorte, a Jauru Transmissora, Ceron, Eletroacre e Termonorte.

Segundo informações do ONS, foram necessárias ações que envolveram desde a troca de informações e a disseminação de conhecimentos, estudos de planejamento da operação elétrica e energética, até o estabelecimento de novos procedimentos operativos para integrar os dois estados ao restante do país.

Além de proporcionar uma economia mensal que pode chegar a R$ 100 milhões em combustível, a interligação vai viabilizar a redução da emissão de dióxido de carbono na atmosfera, em consequencia da diminuição do volume de óleo queimado nas usinas termelétricas para a geração de energia.

O ONS informou que o atual estágio da interligação do Acre e de Rondônia ainda não representa toda a capacidade de transmissão prevista para a interconexão desses estados. Segundo o ONS, como parte do sistema ainda é alimentado por um único circuito radial (de Vilhena a Rio Branco), a geração térmica de combustível ainda será necessária até a configuração final, com três circuitos, entre Jauru e Porto Velho e a duplicação até Rio Branco.

O ONS ressaltou que a expansão das fronteiras do Sistema Interligado para a Região Norte inclui outros dois projetos, que deverão entrar em operação até 2012: a interligação Tucuruí – Manaus – Macapá e o sistema de escoamento da geração das usinas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget