quinta-feira, 7 de outubro de 2010

COMBATE AO CRIME AMBIENTAL

Ibama fecha serrarias e interrompe extração ilegal no Marajó, no Pará

O Ibama embargou três serrarias irregulares e apreendeu 600 m3 de madeira em tora, o equivalente a aproximadamente 20 caminhões cheios, durante uma operação-relâmpago nos municípios de Anajás e Breves, na Ilha de Marajó, no norte do Pará. Durante a fiscalização, que durou apenas três dias (de 28 a 30/09), os fiscais ainda interromperam uma extração madeireira ilegal em área de floresta nativa amazônica. No total, os infratores foram multados em cerca de R$ 250 mil.

Os agentes federais ao chegar à região, onde só é possível se deslocar pelos rios, já flagraram as serrarias irregulares tipo “serra-fita” às margens dos rios Macacos e Aramã, no município de Breves. Duas delas não tinham sequer as licenças ambientais para operar e a outra, apesar de legalizada, não possuía documento que comprovasse a origem da madeira depositada em seu pátio.

A ação contou com fiscais da Superintendência do órgão em Belém, do Escritório Regional de Breves e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio (Reserva Extrativista Arioca Pruanã).

Extração de baixo impacto: legalização é possível

Segundo o coordenador da fiscalização, Francisco Renó, o Escritório Regional do Ibama em Breves tem orientado a população ribeirinha tradicional, que deseja realizar atividades extrativistas de pequeno porte, a se regularizar junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará, cuja Instrução Normativa SEMA/PA nº 40/2010, define regras acessíveis para extrações madeireiras de baixo impacto, até para microserrarias do tipo "serra-circular", diferente das que foram embargadas.

Um comentário:

maduca disse...

Oi visite o meu blog de design e meio ambiente e aproveite para conhecer o blog http://sindromemm.blogspot.cm contra testes em animais, obrigado.

Ocorreu um erro neste gadget