segunda-feira, 11 de outubro de 2010

CRIME AMBIENTAL

Ibama multa em R$ 1,2 mi indústrias por usar produtos de palmiteira ilegal no Pará

O Ibama multou em R$ 1,2 milhão a Hamex Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios Ltda e em R$ 48,7 mil a Indústria e Comércio de Conservas Maiuatá Ltda - dois fabricantes de palmito de açaí em conserva - por utilizar para a fabricação de parte de seus produtos as instalações de uma palmiteira ilegal, no município de Anajás, na Ilha de Marajó, no norte do Pará. O dono da fabriqueta irregular foi autuado em R$ 5 mil.

Instalada num barracão, sem qualquer controle sanitário, a palmiteira já tinha cerca de quatro toneladas de palmitos em conserva prontos e embalados. Todo o produto foi apreendido pelos fiscais e será destruído, em razão do risco de contaminação. Segundo a Divisão Técnica do Ibama em Belém, cerca de 16 mil palmeiras de açaí foram derrubadas de matas nativas do Marajó para produzir essa quantidade de conservas.

No dia 29 de setembro, os fiscais do Ibama chegaram à palmiteira, localizada numa vila ribeirinha, mas os trabalhadores já haviam sido retirados do local. Além da mercadoria apreendida, os agentes recolheram tampas com as marcas impressas da *Hamex *e *Maiuatá, *além de diversos documentos comprobatórios de que a produção da palmiteira seria destinada às duas empresas, que comercializam palmitos de açaí em grande escala por meio de diversas marcas de fantasia, no Brasil e no exterior.

LUCRO RÁPIDO
A extração de palmito ilegal ocorre nas reservas legais (área de floresta que deve ser protegida numa propriedade) ocupadas por populações ribeirinhas tradicionais. “Muitas vezes elas são levadas a realizar a extração de palmito de açaí na perspectiva de conseguir lucro rápido”, explica o analista ambiental Francisco Renó, do Escritório do Ibama em Breves, que coordenou a fiscalização em Anajás. “Mas o ribeirinho acaba se prejudicando, pois a derrubada destes açaizais impede o consumo e a comercialização do fruto, que é base da alimentação local.”

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget