sexta-feira, 29 de outubro de 2010

PROTESTO CONTRA VALE NO PARÁ

Assentados interditam estrada de ferro Carajás, no Pará

Neste momento, moradores do Assentamento Palmares, no Pará, interditam a estrada de ferro Carajás, sob a concessão da Vale, em protesto contra mais uma morte no corredor de Carajás, que corta municípios dos estados do Pará e Maranhão, sendo o principal meio de escoamento do minério extraído da Serra dos Carajás, no Pará.

Joaquim Madeira, de 74 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (29/10) na altura do assentamento do MST, atropelado pelo trem da mineradora. O idoso já havia perdido o filho, Juari Madeira, na mesma circunstância e local há oito anos.

Segundo a organização Justiça nos Trilhos, a mineradorea é responsável por uma série de atropelamentos ferroviários. Em 2007 foram contabilizados 23 mortos, em 2008, foram registradas nove mortes e nada menos do que 2860 acidentes.

Essa é a segunda vez que a ferrovia é interditada pelos moradores do assentamento. A primeira ocorreu em 2007 por aproximadamente um mês para pressionar a Vale a cumprir seus deveres sociais perante a comunidade.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget