segunda-feira, 30 de agosto de 2010

QUEIMADAS CRIMINOSAS NO PARÁ


Ibama já aplicou cerca de R$ 11,5 mi em multas por queimada ilegal no Pará

O Ibama já aplicou desde o início do período de estiagem cerca de R$ 11,5 milhões em multas por queimada ilegal e desmatamento com uso de fogo no Pará. No sudeste do estado, onde acontece desde 9 de agosto a Operação Hefesto, um único proprietário foi multado em R$ 5,1 milhões por ter derrubado e queimado 683 hectares de florestas no município de Santa Maria das Barreiras. Os fiscais do órgão ambiental ainda embargaram a área, que não poderá mais ser utilizada pelo infrator.

Outras 13 propriedades também foram multadas na região, desta vez por queimadas ilegais em Redenção, Santana do Araguaia e ainda Santa Maria das Barreiras. As multas somaram cerca de R$ 300 mil e as áreas também foram embargadas.

Segundo o Ibama, o grande número de assentamentos, invasões de terras e empreendimentos agropecuários que vem utilizam ilegalmente as queimadas para manejar suas pastagens, aliado às dificuldades de acesso até as propriedades a serem autuadas, deverá manter a Operação Hefesto por vários meses no sul e sudeste do estado. “Até as pontes estão sendo destruídas pelo fogo”, diz o coordenador da operação, Rômulo Neto.

Incêndio florestal
O Prevfogo ajuda a combater desde quinta-feira (19/08) um incêndio florestal na Reserva Indígena Xikrin do Cateté, que envolve os municípios de Tucumã, Xinguara e Parauapebas, no sudeste do estado. Os 29 brigadistas em ação vieram da brigada de Cumaru do Norte e da Reserva Indígena Mãe Maria, formada por brigadistas índios. A operação conta também com 10 homens do Corpo de Bombeiros. Dois focos de fogo já estão em fase de extinção e um ainda não foi controlado, justamente o mais isolado, a 32 km da aldeia dos Xikrin. Em São Geraldo do Araguaia, o Prevfogo combate com a brigada instalada no município vários focos de fogo no Parque Estadual da Serra das Andorinhas, na fronteira com o Tocantins.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget