quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Cartografia Social

Pesquisadores mapeiam etnias e resgatam histórico de resistência indígena no Baixo Tapajós

Prof. Marcos Vinícios (UFPA); Profa. Judith Vieira (UFOPA); 
Profa. Solange Galhoso (UFPA); Fabíola Pinheiro (colaboradora do projeto).


Durante a cerimônia de formatura dos alunos dos cursos de línguas indígenas nheengatu e mundurucu, realizada no último dia 5, no auditório do Câmpus Amazônia da UFOPA, em Santarém (PA), aconteceu o lançamento da publicação “Resistência e Mobilização dos Povos Indígenas do Baixo Tapajós”, que contém informações organizadas sobre os povos indígenas de 55 aldeias localizadas em quatro municípios da região Oeste do Pará: Aveiro, Belterra, Santarém e Mojuí dos Campos.

“Além de informações sobre quem são os povos indígenas, onde eles estão localizados, que tipos de problemas enfrentam e sobre a demarcação das terras indígenas nessa região, a publicação traz também vários depoimentos das lideranças indígenas sobre as situações vivenciadas nas terras indígenas, além de um mapa de localização das terras indígenas e dos conflitos”, informa a professora da UFOPA, Judith Vieira, que participou do projeto.

A publicação é resultante de uma pesquisa realizada no período de 2010 a 2013, pelo projeto Nova Cartografia Social da Amazônia, em parceria com o Conselho Indígena Tapajós Arapiuns (Cita) e universidades públicas da região. “É uma publicação voltada para ser um instrumento nas mãos das lideranças das aldeias nas terras indígenas. É um documento público que será distribuído nas aldeias e para as organizações que trabalham com os indígenas”.

Além da parceria com a Universidade Estadual do Amazonas (UEA), a Universidade Federal do Pará (UFPA) e a UFOPA, a iniciativa teve financiamento do Fundo Amazônia, que desenvolve ações destinadas a valorizar iniciativas de combate ao desmatamento da Amazônia. “Esse projeto parte da premissa de que os povos indígenas desempenham um papel fundamental na contenção das frentes de expansão de desmatamento na região”, afirma Judith Vieira.

Para a professora Solange Galhoso, da UFPA, uma das coordenadoras do projeto, o caderno trata do registro sobre o processo de resistência e mobilização dos indígenas do Baixo Tapajós. “É resultado de um trabalho que estamos fazendo com o Cita, desde 2010, e agora saiu a primeira publicação. Vamos continuar o trabalho com o Conselho nesse ano de 2015 para fazer o mapeamento dos territórios indígenas”.

Segundo Solange Galhoso, o projeto Nova Cartografia Social da Amazônia, que se iniciou em 2005, é executado por uma rede de professores e pesquisadores de universidades públicas federais e estaduais brasileiras e da Pan-Amazônia. “São várias equipes de professores espalhadas pelo Brasil e na Amazônia; temos feito o trabalho de cartografia em todos os estados da região”, explica. “O nosso trabalho é desenvolver a autocartografia social. Construímos mapas cartográficos, a partir das representações dos grupos mobilizados. Trabalhamos principalmente com povos e comunidades tradicionais e também movimentos sociais de áreas urbanas”.

Maria Lúcia Morais – Comunicação UFOPA (colaboradora do blog)

Nenhum comentário:

National Geographic POD